June 3, 2015

Feriado chegando... muita gente já arrumou a mala para viajar e aproveitar uns dias de descanso! Vamos ver quais os tecido de algodão que ainda não falamos e ver se temos algum deles na mala?

 

 

No post anterior falamos sobre quatro tipos: o Egípcio, o Pimal, o Fio 100 e a Tricoline. Estes tecidos são ótimos para fazermos camisas (como usaremos como parâmetro para as nossas explicações). Porém, apesar de serem tecido que tornam as camisas mais confortáveis e formais, normalmente são tecidos com um valor mais elevado e nem sempre fáceis de encontrar.

 

E, antes que você questione “Julia, você não falou sobre camisas em Oxford e eu amo esse tecido!!!”, eu vou falar um pouco sobre esse tecido super versátil, que vai desde o ambiente mais formal até o look casual. Oxford é um tecido originário da Inglaterra, e, inicialmente era 100% de algodão. Ele possui a trama um pouco mais aberta (ideal para os nossos dias mais quentes) porém hoje você pode encontrá-lo com a trama de algodão com tafetá ou com algum material sintético.

 

Existe um tipo de tecido que encontramos bastante em camisas estilo bata, mais informais. Pode ser feito com 100% de algodão ou combinado com outras fibras, inclusive sintéticas, criando outros tipos de tecidos.

Este tecido possui desenhos na sua trama, sendo diferenciadas por pequenos detalhes! O algodão maquinetado possui pequenos desenhos nele, tendo listras, bolas, casinhas de abelha ou diamantes. Hoje vejo bastante camisas nesse tecido , sendo um diferencial pelo seu desenho.

 

 

Um tipo especial de algodão maquinetado é o piquê (ou piquet), com padronagens em alto relevo, normalmente em losango ou casinha de abelhas. As famosas camisas poló da Lacoste são, na grande maioria, de piquet 100% algodão!  

 

 

Indo na onda dos desenhos, aparecem dois tipos de tecidos que podem possuir 100% de algodão na composição: a laise e a renda.

A laise, originária da França, é uma combinação muito interessante de fibras de algodão formando um tecido similar a um bordado. Muitas vezes seu tecido é vazado, sendo um tecido leve. Raramente possui a combinação com outros tipos de fibras.

 

 

 

A renda é um tecido que hoje temos em diversas maneiras, afinal existem muitos tipos de tear com diversas fibras. Porém, o mais tradicional e comum ainda é a renda com 100% de algodão (por favor, não misturem com a renda da lingerie! Este é outro ponto que iremos abordar mais para frente!), usada para diversos tipos de roupas! Não se sabe ao certo a origem da renda, mas acredita-se que surgiu na Bélgica e sua fabricação foi introduzida no Brasil a pedido de Dom João VI. É muito comum vermos rendeiras no nordeste do Brasil, teando manualmente ainda.

 

 

E, com a renda, finalizamos os nossos posts falando sobre o algodão e alguns tipos de tecidos que pode ter 100% dele na composição! Espero que tenham gostado e, qualquer dúvida, pode me procurar, ok?

 

 

June 1, 2015

Você sabia que o algodão é a principal fibra têxtil que usamos hoje no mundo? E que temos diversos tipos de tecidos que utilizamos a fibra de algodão??? Sabia que quanto mais comprida e fina for a fibra melhor a qualidade do algodão que temos?  Logo, lembro dos tecidos com 100, 500, 1000 fios... Quanto maior o número, mais fino e valioso é o tecido!  Mas, na prática, poucas pessoas sabem o que isso realmente quer dizer ou qual o tipo de algodão que está comprando. Vamos conhecer alguns destes tecidos agora mesmo!

 

Muitas vezes ouvimos que o lençol é de algodão egípcio, aquele que possui 500, 1000 fio... Este tipo de algodão é realmente cultivado no Egito, e é famoso por ser o mais sofisticado e desejado entre todos. Sua fibra é longa e mais fina do que os demais tipos de algodão e podemos achar camisas maravilhosas feitas com sua fibra. Porém, o Egito só produz uma fatia muitíssimo pequena da produção de algodão do mundo, e por isso achar uma camisa com 100% desta fibra é bem difícil e cara.

Aqui no Brasil, só me recordo da Dudalina vendendo estas camisas de algodão 100% egípcio...

 

A primeira opção de algodão tão boa quanto o egípcio porém menos conhecida é o Pima, feito no Peru. Possui uma fibra longa e fina igual ao anterior, porém seu preço costuma a ser mais acessível e é bem mais fácil de acharmos. As camisas e camisetas feitas nesse algodão são reconhecidas como peças de luxo no mercado!

 

 

 

 

Logo depois, seguindo o nosso conceito de luxo, temos o Fio 100, que é de origem italiana ou peruana. Muito conhecido para a confecção de camisas, tem fibras finas e bem leves, deixando as blusas com uma leveza excepcional.

 

Nessa linha de camisaria, logo depois vem um conhecido de quase todo mundo: o tricoline! Este o tecido mais usado no mundo para a produção de camisaria, sendo com um bom custo e um caimento também legal. A fibra do algodão também pode ser combinada com o elastano, gerando uma tricoline ainda mais maleável.

 

Mas, Julia, você só tá falando de camisaria... Mas eu não posso usar esses tecidos para outras peças de roupa? Claro que pode!!! To usando o exemplo das camisas por ser um parâmetro mais fácil para entendermos, mas acredito que todas as mulheres e homens devem ter peças que são casuais com um desses materiais citados acima!

 

 

May 31, 2015

 

Que tal aprendermos um pouco mais sobre os tecidos que usamos??? Vou começar explicando um pouco de cada uma das fibras têxteis!

 

 

Os fios que usamos hoje (não sei quanto ao futuro, talvez isso mude em um tempo bem próximo!!!) só possuem duas origens: ou são naturais ou são químicos!!! As fibras naturais são aquelas que retiramos da natureza, tendo três tipos: vegetais, animais e minerais. Já as fibras químicas passam por um longo processo para chegarem ao fio para tecermos! As fibras artificiais provém da polpa da madeira e as sintéticas são fruto do petróleo.

Mas, quais são as principais diferenças entre as fibras e os prós e contras de cada uma?

As fibras naturais podem ser dividas nas três origens como já comentei acima. Vamos entender um pouco mais de cada uma delas:

Fibras Vegetais – onde temos o nosso principal fio, o algodão! Os fios são extraídos de três origens: sementes (algodão), folhas (sisal e ráfia) e caule (meu querido linho e juta).

Fibra Animais – são os fios que provém tanto da secreção do animal (seda, no caso da lagarta) quanto do fio do animal (como a lã, tanto da cabra cashemere ou a alpaca lhama).

Fibra Mineral – são os fios metálicos, como a prata e o cobre.

 

No geral, as fibras naturais são preferidas para as roupas por terem o toque mais agradável, serem confortáveis (lembram do pijaminha???) e por permitirem o corpo respirar (alô você que possui problemas por suar muito!!!). Além disso, são mais duráveis para uso e dão mais qualidade para a peça. Porém, como nem tudo são cheiros melhores, essas peças costumam a serem mais caras e amarrotarem mais facilmente.

 

 

Mas, Julia... E aquela blusa linda que eu comprei naquela fast shop que diz que vai durar vinte e pouquíssimos anos? Ela foi tão baratinha!!!! Então... ela deve ser de... tchã ram ram ram ram rammmmm:  fibra sintética!!! É o quê?

 

Fibras sintéticas são fios artificiais provenientes do petróleo. Temos dois tipos de fibras sintéticas provenientes do processo químico: o fio de poliéster e o fio de acrílico. Estes dois tipos de fibras criam diversos tipos de tecidos, como o nylon e a lycra (elastano)!

Além disso, Julia, então tudo que estica é sintético? SIMMMMMMMMMMMMM!!!! Tudo que estica tem elastano, afinal tecido plano (aqueles que não estica!) pode ser de fibras naturais (que não esticam) ou de fibras sintéticas. Malha pode até ter fibras naturais (como lã), mas quase sempre são de fibras sintéticas para serem mais maleáveis! Ou seja, a maioria das peças que possuem aqueles forros que mantém a peça estruturada ou aquelas peças que esticam são de fibras sintéticas!

 

Entendemos essa parte? Agora vou te contar o problema delas... As fibras sintéticas são provenientes do petróleo assim como coisas plásticas! Sabe quando você usa algo e tem a impressão que estava envolta em um saco plástico, um plástico filme? Você estava!!! Esses tipos de fibra dificultam a respiração do corpo, não duram muito (dão bolinha logo logo) e podem dar cheirinho ruim (alô você que sua muito!)... Mas são mais baratas, secam rápido e não amassam (as mamães de plantão super agradecem)!

 

E, por último mas não menos importante, temos as fibras artificiais. São fios provenientes de processos químicos que a polpa da madeira passa, resultando em fios que, após entrelaçados, geram a viscose, o acetato e o modal (existem mais tecidos, porém esses são os mais importantes). E sim, esses tecido são bemmmm melhores do que os sintéticos, apesar de também serem gerados por processos químicos.

 

Agora, que já possuímos essas informações explicadinhas e bem entendidas, vamos lembrar de olhas as etiquetas na hora de comprar? O consumo consciente ajuda o nosso planeta e aquela peça que amamos pode durar muito mais no nosso guarda-roupa! 

 

 

Please reload

Vamos%2520falar%2520sobre%2520madrastas%
Julia Kreischer
consultora de imagem e estilo. é apaixonada por gente, bicho, roupa, linha, agulha, acessórios e bom humor! acredita que pessoas felizes irradiam alegria!  

Consultoria de estilo e compras em niterói - RJ

SIGA
Posts recentes

August 28, 2015

Please reload

Procure por Tags
Please reload

  • Facebook Clean
  • Instagram Clean
  • YouTube Clean
  • Twitter Clean
  • RSS Clean

© 2018 por Julia Kreischer Treinamento de Estilo Pessoal-CNPJ 30.621.062/0001-81 - todos os direitos reservados